domingo, 3 de julho de 2011

Stream Of Passion - Darker Days [Review]

Um dos destaques dentro do metal sinfônico/progressivo ultimamente, o Stream Of Passion lança Darker Days. A banda foi formada pelo músico holandês Arjen Anthony Lucassen, mentor do projeto Ayreon, e a vocalista e violinista mexicana Marcela Bovio, que já havia trabalhado com Lucassen no Ayreon, nos álbuns The Final Experiment e The Human Equation. Como o nome sugere, o disco mostra a banda apostando numa sonoridade mais obscura. Os solos estão mais ausentes, mas a banda entrega ótimos arranjos, dessa vez bem mais densos, mas ainda impulsionando o foco principal de sua sonoridade: a bela voz de Marcela Bovio.

Darker Days mostra uma banda mais compacta e bem integrada. Marcela Bovio, com toda certeza, é o grande atrativo da banda e isso fica claro em todo o álbum, mas esse destaque é notável em Spark e Nadie Lo Ve, canções acompanhadas boa parte por apenas um piano, e configuram o cenário perfeito para Marcela preencher as suaves melodias com sua linda voz. Mas além de Marcela, outro atrativo da banda é o contraste entre sua voz doce com as melodias das músicas, sempre muito carregadas e por vezes bem agressivas, ganhando até contornos dramáticos, como acontece na faixa de abertura, Lost, e em This Moment e The Hunt. Se você é fã dos antigos trabalhos da vocalista, Reborn, Darker Days e Our Cause têm trechos em espanhol e irão atender suas necessidades, além de Nadie Lo Ve, que é cantada inteiramente na língua.

Alguns elementos progressivos ainda estão presentes. Em Collide - que em alguns momentos lembra Open Your Eyes, do primeiro álbum - Closer e Broken, que é cheia de reviravoltas, são bem notáveis, mas eles acabam ofuscados pelos elementos sinfônicos e os vocais fortes. É preciso um pouco de paciência para perceber as nuances, principalmente pela falta de ganchos acessíveis para puxar o ouvinte e levá-lo junto. Mas isso não é um grande problema, as faixas funcionam muito bem e agarram sua atenção, o que não torna um trabalho árduo ouvir o disco novamente.

No geral, a base do som de Darker Days é o gothic metal, com alguns detalhes progresivos. Mas esses detalhes fazem toda a diferença e torna a banda bem superior a outras do gênero, que há muito tempo está um pouco saturado. Acima de tudo, mostra a banda muito bem resolvida dentro desse estilo, com composições de muito bom gosto. Se você é fã da banda ou do gênero, valerá muito a pena parar para ouvir este disco.


Nota 8,5

Tracklist:
01. Lost
02. Reborn
03. Collide
04. The Scarlet Mark
05. Spark
06. Our Cause
07. Darker Days
08. Broken
09. This Moment
10. Closer
11. The Mirror
12. Nadie Love
13. The World Is Ours
14. The Hunt (Bonus Track)

Um comentário:

  1. Muito bom esse mas ainda fico com o primeiro CD.

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails